Sem categoria

Reabertura de Hotéis em Foz do Iguaçu

A cidade de Foz do Iguaçu (PR) está autorizada a reabrir hotéis e algumas outras atividades voltadas ao turismo a partir desta segunda-feira. O prefeito Chico Brasileiro assinou um decreto que colocou fim a quarentena realizada pelos meios de hospedagem, após 50 dias com as portas fechadas. A medida também vale para transportes e atrativos turísticos, restaurantes e bares.

O funcionamento de hotéis está liberado a partir de hoje, porém somente para viajantes de negócios e “motivos particulares”. Para turismo e lazer, as reservas estarão disponíveis a partir de 10 de junho. Na prática, também será diferente: tanto funcionários como hóspedes deverão usar máscara, e os hotéis terão de oferecer aos hóspedes álcool em gel nas áreas sociais.

Apesar da notícia, o Parque Nacional do Iguaçu, onde estão as famosas Cataratas, e a Itaipu Binacional permanecem fechados, pois a decisão de abertura ainda depende do governo federal. O Marco das Três Fronteiras e o Dreamland, onde estão o Museu de Cera, Vale dos Dinossauros, Ice Bar e outras atrações, só estão previstos para serem reabertos no dia 10 de junho.

Segundo o decreto está permitida a retomada “de forma gradual e monitorada das atividades turísticas de Foz do Iguaçu, com escalonamento de datas e mediante cumprimento dos protocolos de segurança e demais normas, além da assinatura de Termo de Responsabilidade”.

Outras atividades

O transporte turístico também está autorizado a voltar a funcionar a partir desta segunda-feira, porém com uso obrigatório de máscara para todos e com uma rigorosa higienização dos veículos. Os restaurantes e bares também já podem voltar a abrir a partir de hoje, desde que adotadas todas as medidas de segurança. Entre elas está o uso de máscara e álcool em gel, além de respeitar a distância social entre mesas e ambientes bem ventilados.

É importante deixar claro que, segundo o decreto, as atividades podem ser suspensas a qualquer momento, caso existam situações que coloquem a saúde pública em risco, como um aumento no número de casos.